USIPA - Centro de Biodiversidade da Usipa firma convênio com ARPAVA

HOME     INSTITUCIONAL     ESPORTES     LAZER E SOCIAL      MEIO AMBIENTE      CANAIS     FOTOS    CONTATO

  :: NOTÍCIAS USIPA + Ver mais notícias
 


 
 

Centro de Biodiversidade da Usipa firma convênio com ARPAVA
 

 

Na segunda-feira (10), o Centro de Biodiversidade da Usipa dará mais um grande passo na reabilitação da fauna local, por meio da assinatura do Convênio de Transferência de recurso com a Associação Regional de Proteção Ambiental do Vale do Aço - ARPAVA.

O convênio consiste no fortalecimento do Programa de Recuperação da Fauna sem Lar do Vale do Aço, que tem o intuito de prestar serviços médicos veterinários e atendimentos clínicos a animais silvestres, que foram recolhidos pela Polícia Militar de Meio Ambiente e Trânsito, Corpo de Bombeiros do Vale do Aço e pelo Instituto Estadual de Florestas - IEF. 

O recurso será utilizado para adequar as instalações do CEBUS, propiciando um maior espaço e locais apropriados para o recebimento de animais silvestres, que poderão ser reabilitados à soltura seguindo as orientações do IEF. De acordo com a Bióloga do CEBUS Cláudia Diniz, os animais acolhidos não podem ocupar o mesmo local que as espécies do zoológico. A separação deve ser feita de forma efetiva. “Um papagaio que viveu 20 anos em uma gaiola, não tem condição de soltura. Então ele vem pra cá, recebe os primeiros tratamentos e é colocado à disposição do IEF, que faz a sua destinação”, exemplifica Cláudia.

Entenda o recurso

A Promotoria de Meio-ambiente é responsável por destinar os recursos, provenientes de acordos judiciais para diversas instituições, como a ARPAVA - incumbida de aplicar o recurso no CEBUS.

Segundo o médico veterinário e coordenador técnico responsável pelo CEBUS, Lélio Costa e Silva, em maio de 2016, foi realizada uma reunião com a ARPAVA e a

 

Promotoria Ambiental.  Já em julho, houve o primeiro encontro com o IEF, a Polícia Militar Ambiental, a ARPAVA e o IBAMA.

“Para receber o recurso, era necessário formalizar o recebimento desses animais. Até o início deste ano, essa atividade era feita de forma não-oficial. Nossa região é uma rota de tráfico de animais, próxima ao Parque Estadual do Rio Doce, com muita área verde e urbana. Não existe um centro de triagem na região. Os atendimentos a esses animais eram realizados por uma questão ética. Afinal, não poderíamos deixá-los a beira da morte”, conta Lélio.

Graças ao convênio -intermediado pela Polícia Ambiental- será fortalecida uma atividade já desenvolvida há anos, o abrigo e tratamento de animais. ­­­­­­Desde 21 de janeiro de 2017, o Centro de Biodiversidade da Usipa tem recebido, oficialmente, animais silvestres em risco de morte ou amansados sem condições de soltura. Eles são trazidos pela Polícia Militar, por meio de um acordo com o Instituto Federal de Florestas – IEF. Essa ação é importante, pois o CEBUS é o único lugar na região que presta esse tipo de serviço.

Nos últimos meses, amparados por esse acordo, foram recebidos 49 animais. Sendo que, até o momento, seis deles puderam ser soltos novamente: um Gavião-pato (espécie em risco de extinção), dois Saguis da Cara Branca, uma Juriti, um Papa Arroz e uma Coruja-do-mato.

A ARPAVA

A Associação Regional de Proteção Ambiental do Vale do Aço – ARPAVA é uma associação de caráter representativo e sem fins lucrativos, em prol da preservação ambiental e dos recursos naturais do Vale do Aço.

Em sua missão, a instituição desenvolve trabalhos de proteção, conservação e recuperação de ambientes degradados e/ou ameaçados, além da prestação de serviços à natureza ambiental. “O acordo firmado com a Usipa é um grande benefício a nossa região. Esperamos cativar boas ações em outros seguimentos, ajudando a nossa biodiversidade. Esse é o nosso papel para combater crimes ou infrações ambientais”, destaca o presidente da ARPAVA, Júlio Silva.