USIPA - Marimbondos: risco perto das casas, controle dentro das matas

HOME     INSTITUCIONAL     ESPORTES     LAZER E SOCIAL      MEIO AMBIENTE      CANAIS     FOTOS    CONTATO

  :: NOTÍCIAS USIPA + Ver mais notícias
 


 
 

Marimbondos: risco perto das casas, controle dentro das matas
 

 

Esta época do ano é caracterizada pelo clima seco do outono e inverno. E basta a umidade do ar abaixar que eles começam aparecer. Os marimbondos, insetos da Ordem dos Hymenoptera, que podem ser sociais ou solitários, passam a ocupar também as casas e as ruas das cidades. É que o nosso amigo de picada dolorosa se alimenta de pequenos insetos, araquinídeos, néctar e até frutos.

E, nesta época do ano, a disponibilidade desses alimentos diminui. Desta forma, os marimbondos saem de seus abrigos a procura de comida nos ambientes urbanos. E é aí que nós, humanos, encontramos o problema.

A picada do marimbondo pode doer muito, mas não causa mal, exceto se pessoa for alérgica. Nestes casos, é necessário ir ao hospital e procurar um auxílio médico. Se a pessoa não tiver nenhum tipo de alergia ao inseto, é só higienizar o local e aguardar. A região picada pode ficar inchada e vermelha, mas a dor dura, aproximadamente, uma hora.

Benefícios no meio ambiente

Apesar da picada dolorida, o marimbondo tem um papel importante no meio ambiente. “A função dele dentro da mata pode ser comparada a de uma onça: são predadores. O marimbondo faz o controle de outros insetos e de araquinídeos. Os marimbondos utilizam as larvas desses insetos e araquinídeos para alimentarem suas crias, porém, na fase adulta se alimentam de néctar tornando-se importantes polinizadores”, afirma a bióloga do Cebus, Cláudia Diniz.

Além da falta de alimentos nesta época do ano, as queimadas também são responsáveis pela migração dos marimbondos às áreas urbanas. Com as casas queimadas, eles saem em busca de novas áreas para fazerem abrigo.

E se você encontrar uma caixa de marimbondos em sua casa tenha cautela. Nada de usar métodos duvidosos mostrados na internet, como exemplo, atear fogo. Pode ser perigoso! Em casos de emergência, é importante acionar o Corpo de Bombeiros pelo 193.